10/05/2019 às 17:28
MINHA MÃE
Pensar em ti, minha mãe,
É sempre pensar em mim.
É ver-me travestida de egoísmo,
E sentir muita piedade de mim
Porque fiquei sem ti, e fiquei nua;
É ter piedade da minha saudade,
Da vontade de apagar o tempo
E ter de novo a presença tua.
 
Pensar em ti, minha mãe,
É ver-te, ternamente,
A mexer panelas fumegantes
Sobre o fogão,
Onde a chama que o grão cozia
Era menor que o amor
Que te movia.
 
Pensar em ti, minha mãe,
É pensar, hoje, tão tardiamente,
No tanto que me davas
E que eu não via,
E que eu era cega,
E que eu não sabia.
Não, eu não sabia
Da infinita dimensão
Do teu ser no meu ser
E no que sou.
 
Pensar em ti, minha mãe,
É ver-te
Em tuas renúncias sem queixas,
Cancelar teus sonhos
Pra sonhar os meus,
Teus braços cansados
Pra poupar os meus,
Tua vida esquecida
Pra viver a minha,
Manter teu sorriso
Pelos risos meus.
 
 
Pensar em ti, minha mãe,
É lembrar, com saudade imensa
Do jardim que cultivavas.
É ver-me menina
A cheirar as rosas que plantavas:
Algumas, sem perfume,
Outras de cheiro tão doce,
Que te tornam presente em mim
Como se teu perfume fosse.
 
Pensar, em ti minha mãe,
É recordar que de ti aprendi,
Entre suspiro e risos
A olhar o jardim,
A contemplar a vida e os viventes,
A sentir a tristeza dos tristes,
A sentir a solidão dos solitários
E a força da flor
Que não se queda aos ventos.
 
Pensar em ti, minha mãe,
É estender a piedade
A todas as mães:
Àquelas que deitam os filhos
Em berços dignos,
Àquelas que deitam os filhos
Sobre o feno, como Maria,
Àquelas que deitam os filhos
No leito eterno.
 
Pensar em ti, minha mãe,
É lembrar que não aprendi,
Contigo, enquanto vivias,
Que eu iria precisar
Tantas vezes de teu colo,
Nas tantas vezes
Em que menina sou,
E me assusta o mundo,
E dói-me a alma
A chorar pra dentro.
 
Pensar em ti, minha mãe,
É ouvir o sopro de tua voz
Ao meu ouvido:
- Agora é tua vez!
No dia em que nasceu meu filho,
E nasceu uma mãe em mim,
E me vi em ti e te vi em mim.
 
 
GUIOMAR TERRA BATÚ DOS SANTOS
 
 

    

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Guiomar Terra dos Santos