12/07/2019 às 13:50
DE MÃOS DADAS
O Homo sapiens é um animal que não sobrevive sozinho. Sempre surge outro, e mais outro, e, assim, sucessivamente se forma um grande grupo.
Olhe, por exemplo, na construção civil, tijolos passando de mão em mão. A cooperação nasce com o homem. Por conseguinte, surge o cooperativismo como uma união de pessoas com objetivos comuns.
            No Brasil, o sistema cooperativista, surgiu no RS, cooperativa de crédito em Nova  Petrópolis.
            Mas, ainda é referido, como trabalho cooperativo, a organização entre indígenas, aqui nas Missões (território vasto compreendendo, também, Argentina e Paraguai), constituindo o maior exemplo primitivo de cooperação. Tudo era de todos. Os bens da colheita, por exemplo, era para todos os indígenas, principalmente, nas reduções.
            Os ramos do cooperativismo vão envolvendo mais pessoas, diferentes profissões, contribuindo, assim, para o incremento da economia mundial. Os maiores exemplos se verificam na saúde (UNIMED), crédito (SICREDI) e cooperativas agropecuárias. O ramo do trabalho vem, continuamente, subindo de atuação e crescimento.
            Enquanto, nas cooperativas, os cooperados são donos do negócio, nas empresas o dono alavanca todos os lucros. Nas cooperativas, há a distribuição de sobras, conforme o desempenho de cada cooperado.
            Foi comemorado no dia 6 de julho, o Dia Internacional do Cooperativismo.
            Na cooperativa, todos crescem juntos: o cooperado, a cidade, a região, o estado. É a globalização do sistema.
            Dar as mãos une as pessoas com interesses comuns.
            Individualismo não semeia, não colhe, não cresce.
            Seja cooperado. Assuma o espírito cooperativista.
 
 
 
 

    

Médica

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais posts de Norma Benvenuti