26/07/2013 às 10:57
UERGS: Governo propõe mudança para salvar universidade

Inconformado com os resultados obtidos até hoje pela UERGS o Governo do Estado vai propor mudanças na instituição pública de ensino. Na terça-feira, dia 30, será apresentada a Mensagem do Governo do Rio Grande do Sul - Pacto pela UERGS. O documento encaminha uma série de sugestões para que a universidade comece a se converter em um centro de excelência do ensino superior. Desde sua criação no governo Olívio Dutra, a universidade cumpre um papel secundário.

Uma das mudanças a ser proposta pelo pacto é a criação de cinco ou seis pólos regionais. Hoje a UERGS está espalhada por 23 cidades. Os campi ficariam em Porto Alegre, Caxias do Sul, Carazinho, Cruz Alta, Santana do Livramento e, provavelmente, um na zona sul. O secretário de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT), Cléber Prodanov, adianta que a intenção não é fechar unidades, mas "concentrar estruturas". A ideia é modernizar a gestão.

A maior mudança deve ocorrer em Porto Alegre. Reitoria, biblioteca e salas de aula ficaram concentrados num campus no Centro de Treinamento e Formação da CEEE, no bairro Agronomia. Assim a UERGS ficará fisicamente entre a PUCRS e a UFRGS. "Queremos permitir que a universidade tenha significado", defende Prodanov ao incluir na proposta a aproximação de estruturas federais e comunitárias de ensino.


O pacto que será proposto foi construído em encontros na SCIT com toda a comunidade acadêmica. "O governo assume compromisso com a contratação de professores e estrutura, mas a universidade passa a se comprometer com metas", adianta Prodanov. Uma das metas é a montagem de cursos de mestrado e doutorado. A SCIT negocia com a Secretaria da Fazenda uma ampliação do orçamento da universidade. Investir o recurso adequadamente é o desafio.

A criação da UERGS é considerada um acerto pela deputada Miriam Marroni (PT). Mas para o momento em que foi criada. De lá para cá houve o fortalecimento de comunitárias, a criação de novas universidades federais e de cursos técnicos que passaram a competir com a UERGS. A parlamentar chegou a sugerir na tribuna da Assembleia Legislativa o início de um debate sobre a federalização da estrutura. Uma possibilidade a ser discutida a partir deste pacto é não realizar mais vestibulares onde a UERGS concorra com estruturas federais.

 

 

Fonte: Rádio Gaúcha

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Educação