08/09/2017 às 16:32
Em audiência pública foi organizado movimento para “evitar o desmonte do IPE”
Em audiência pública foi organizado  movimento para “evitar o desmonte do IPE”
A audiência pública foi marcada por amplo debate e buscar mobilização para reverter o quadro atual no Ipe. Crédito da foto: Leonardo Vargas Pereira

Por iniciativa dos vereadores Laureano Castilho (PSDB) e Ana Brum de Barros (PT), foi realizada audiência pública em São Luiz Gonzaga, com a finalidade de criar movimento de reação ao que consideram “ação dirigida para o desmonte do IPE”. De acordo com os vereadores Laureano Castilho e Ana Barros, está reduzindo a sua prestação de serviços aos beneficiários, dando a entender que a ideia é limitar a oferta de atendimento somente a Porto Alegre e talvez algumas outras cidades de grande densidade populacional. Como o IPE, além de assegurar atendimento médico, hospitalar e laboratorial para os servidores do Estado, também tem convênios com praticamente todas as Prefeituras gaúchas, que garantem o mesmo atendimento aos servidores municipais, o público que atende, considerando as famílias dos segurados, constitui um enorme contingente de pessoas, de todas as idades, que estão vendo o IPE encolher, embora continue recebendo normalmente as contribuições dos segurados.
Intensa discussão marcou a audiência pública, porque os segurados estão percebendo a redução no atendimento, especialmente na área da assistência médica. A esse respeito, o médico José Renato Guimarães Grisolia, enviou carta ao presidente da Câmara de Vereadores, Francisco Lourenço, para agradecer o convite recebido para se fazer presente na audiência pública, devido a compromissos já assumidos para o mesmo dia e horário. Nessa carta, colocou ao alcance dos participantes da audiência pública, fatos que talvez desconheçam, que divulgaremos aqui, de forma resumida:
1 – O IPERGS não repõe a inflação no valor do atendimento médico há mais de seis anos, mesmo com o aumento da contribuição do usuário a cada atualização salarial.
2 – Comissão paritária discute a situação do IPE há pelos menos quatro anos, da qual participam o Sindicato Médico, AMRIGS, CREMERS e a direção do Instituto de Previdência do Estado. São reuniões periódicas, até agora sem consenso para oferecer uma proposta.
3 – O desmonte do IPE também se dá em termos de redução do quadro de servidores, sendo que aqui em São Luiz Gonzaga, tínhamos vários funcionários, além de auditor médico. Hoje, é apenas uma servidora em final de carreira, que ao se aposentar, provavelmente determinará o fechamento da unidade, se não houver pronta ação da comunidade para evitar essa consequência.
4 – A falta de servidores também se dá na sede do IPE em Porto Alegre.
Esta carta foi lida na audiência pública e suscitou vários debates, todos preocupados com a possibilidade do IPE ficar ausente nos municípios, longe de seus segurados e dependentes. A vereadora Ana Barros, em visita ao jornal, informou que o prefeito Sidney Brondani atendeu pedido dos edis que convocaram a audiência pública e enviou cópia do convênio firmado com o IPE para garantir assistência médica e hospitalar aos servidores do município. Nesse convênio, disse Ana Barros, o usuário não é parte, embora seja um dos elos do suporte financeiro e o beneficiário.
Depois dos debates, foi decidido formar uma comissão, para assumir a luta dos segurados do IPE nesta região do Estado, envolvendo inicialmente todos os municípios da Região Missioneira, através da Associação dos Municípios das Missões e da Associação dos Legislativos das Missões. A ideia é fazer uma representação forte da região, para ir à comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e buscar o apoio dos deputados de todas as bancadas, para ir ao governo e iniciar um diálogo que encaminhe uma solução para o caso.
A comissão formada na audiência pública está formada pelos vereadores Alberto da Veiga, de Porto Xavier, Vanderlei Antônio Vieira, também de Porto Xavier, Elói Batista, de Bossoroca, Ana Barros e Laureano Castilho, de São Luiz Gonzaga, e o vice-prefeito Mário Trindade, deste município.
 

Comentários

Nenhum Comentário. Deixe o seu comentário!

Mais notícias em Geral